quinta-feira, 25 de agosto de 2016

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

24 de Julho: Ezequiel Ramin

Ezequiel Ramin era padre e queria ser médico. Veio para o Brasil em 1983, onde assumiu a causa dos trabalhadores sem-terra e dos índios na região norte do país, onde foi missionário da diocese de ji-paraná, em Rondônia. Quando chegou ao Brasil, Pe. Ezequiel encontrou uma caminhada já em andamento, em favor dos povos da região, que se viam cada vez mais oprimidos pelos latifúndios que eram estabelecidos pelos colonizadores que estavam indo ocupar aquela região. Os que lembram da luta de Pe. Ezequiel dizem que a pouca idade, 33 anos, dava-lhe o entusiasmo que o desafio exigia. Ele foi uma pessoa de coerência, inteligente e que se comprometeu a estudar os problemas do Brasil logo que chegou da Itália.

Havia coisas que incomodavam Pe. Ezequiel profundamente, como as desigualdades sociais, as injustiças, a arrogância de quem tenta se impor pelas armas ou pela manipulação das leis. Ele lutava veementemente contra isso. “A fazenda em que ele morreu, já na época, ia além dos seus limites e seguia até o Mato Grosso.

24 de julho: martírio do nosso irmão Ezequiel Ramin. "Seu nome é santificado naqueles que morrem defendendo a vida"

Falamos memória por este documentário da Verbo

https://youtu.be/7s0_qFyGQAI

terça-feira, 9 de agosto de 2016

DIÁLOGO ENTRE OS POVOS: POVOS INDÍGENAS, BRASILEIROS COMO NÓS?

DIÁLOGO ENTRE OS POVOS: POVOS INDÍGENAS, BRASILEIROS COMO NÓS?

Muita indiferença, muito desconhecimento, muita dúvida, muita omissão, muito sofrimento.
VAMOS NOS POSICIONAR.
VENHA DEBATER CONOSCO!
Frei João Xerri, OP vai nos ajudar.


13 DE AGOSTO, SÁBADO – 9h30 às 12h
Salão da Paróquia São Domingos
Rua Caiubi 164 (quase esquina da Cardoso de Almeida –
 referência: Ofner Chocolates e Doces)

domingo, 10 de julho de 2016

Corrupção é vista como o maior problema do País, diz Datafolha

  Sabemos que a corrupção mata! Por diversos motivos. Ela tira dinheiro da saúde educação e segurança públicos, saneamento básico, além de alimentar uma cultura de impunidade. Não há duvidas de que para buscarmos uma sociedade mais justa, a corrupção precisa ser combatida na sua raiz e através das nossas atitudes do dia a dia. 

  Nos últimos meses, pudemos ver muitas consequências graves para o pais que a corrupção vem trazendo na politica, na economia, etc. A igreja, exercendo seu papel profético vem constantemente chamando a atenção para essas questões e, em 1996,  promoveu a Campanha da Fraternidade com o tema "Fraternidade e Política" e o lema "Justiça e Paz se abraçarão"

   Recentemente, foi divulgada na mídia uma noticia que pode ser sinal de que o povo brasileiro está enxergando, com mais clareza, as graves consequências da corrupção.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-11-29/corrupcao-e-vista-como-o-maior-problema-do-pais-diz-datafolha.html

  Isso pode ser um sinal concreto de que  o povo brasileiro está percebendo que todos nós precisamos tratar  a politica com mais seriedade. É  fundamental discutimos com nossos amigos sobre politica e, assim, ajudarmos uns aos outros a procurarmos as vantagens e desvantagens de cada candidato. Nós, como verdadeiros cristãos precisamos ajudar os outros a enxergar, por exemplo, que quando há dinheiro demais envolvido em uma certa campanha, provavelmente, quem pagou essa campanha vai buscar favores em troca, e assim, esse político deixa de buscar o bem comum. É importante trocarmos idéias para ajudarmos a formar opiniões concretas sobretudo agora que estamos próximos das eleições municipais.

Por Filipe Thomaz.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Aplicativo “Voto Legal”

O Voto Legal é legal
Como parte dos trabalhos para as Eleições 2016, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), em parceria com o APPCIVICO, e com o apoio do Instituto Arapyau, iniciaram o desenvolvimento de um aplicativo chamado “Voto Legal”.
Após o Supremo Tribunal Federal ter declarado inconstitucional à doação de empresas para as campanhas políticas (ADI 4650) e com as mudanças advindas com a reforma eleitoral, ambas em 2015, o financiamento de campanhas eleitorais passou a ser exclusivo de pessoas físicas.
Pensando nisso, o MCCE e seus parceiros do “Voto Legal” iniciaram o desenvolvimento de um aplicativo que busca sensibilizar o eleitor em relação à importância do seu voto e da sua participação no processo eleitoral. A ideia é que a plataforma promova e facilite a doação de pessoa física para a campanha de candidatos, monitorando seu comportamento durante o período eleitoral.
A plataforma foi idealizada de acordo com a legislação eleitoral vigente, que não permite doações empresariais e também não permite que se faça através de vaquinhas ou crowdfunding na modalidade onde um terceiro arrecada os recursos financeiros e depois transfere ao beneficiário (candidato). Isto foi confirmado hoje (01/07/2016) pelo TSE ao responder a uma consulta feita por diversas entidades, inclusive o MCCE por entender que se poderia flexibilizar outras formas para facilitar a participação do cidadão no processo eleitoral, o que não ocorreu.
Independente da resposta, a plataforma ‘Voto Legal’ já estava formatada para atender a legislação eleitoral vigente, uma vez que não vai movimentar os valores recebidos, o doador acessa a plataforma e escolhe o candidato cadastrado e doa diretamente no site do candidato, não existindo nenhuma participação da plataforma na transação financeira.
A vantagem da plataforma é a de ser um ambiente facilitador no processo e de estimular a participação cidadã do eleitor uma vez que vai ter informações precisas sobre limites e as regras e também de trabalhar na conscientização das pessoas de que devem ter o protagonismo neste processo, substituindo as empresas que decidiam quem vencia as eleições.
Voto Legal baseado em um software livre de bem publico que tem uma licença livre para que possa ser utilizado por qualquer candidato e também oferece todas as funcionalidades necessárias para que qualquer cidadão possa efetuar uma ou mais doações para candidatos de maneira segura e transparente. No dia 8 de Julho, a plataforma será colocada no ar para a realização do primeiro cadastro dos pré-candidatos.
Sobre os realizadores
MCCE: Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral ficou conhecido, especialmente, por ter sido o autor da proposta de iniciativa popular que originou a Lei da Ficha Limpa que foi apoiada por mais de 1.600.000 pessoas que assinaram sua proposta, alem de outros tantos milhares de apoios que recebeu pela internet, pelas plataformas Avaaz e Change e nas midias sociais.
Foi também responsavel por outra Lei de iniciativa popular, a Lei 9840 que caça candidato que compra votos.
O MCCE articula uma rede de mais de 60 entidades que são associadas e hoje tem um novo projeto de iniciativa popular para a Reforma Politica que conta com mais de 100 entidades apoiadoras.
Ver: www.mcce.org.br
APPCIVICO: empresa de tecnologia social que busca, através da inovação, promover processos de participação cidadã e construção daquilo que é de interesse público. A empresa acredita no fortalecimento de um ecossistema sustentável de desenvolvedores e usuários de aplicativos cívicos que inclui implementação, customização, integraç&ot ilde;es, suporte técnico e estratégias de engajamento cidadão para as aplicações, aproveitando as melhores tecnologias abertas disponíveis no mercado.
A iniciativa Conta com o apoio da Fundação Avina e tem uma equipe com mais de 10 anos de experiência na área de desenvolvimento de aplicativos e softwares e implementação de projetos sociais.
INSTITUTO ARAPYAU: O Arapyaú é uma associação sem fins lucrativos que está empenhada na promoção do desenvolvimento sustentável. Sua contribuição se dá pelo desenvolvimento de ações e apoio estratégico, financeiro e de articulação a organizações e grupos que trabalham para o desenvolvimento da economia verde*, o aprimoramento da p olítica e suas lideranças e o engajamento da sociedade. A palavra arapyaú (da tradição tupi-guarani) significa “tempo-espaço novo” e representa o mundo mais próspero e sustentável que buscamos construir.
*Economia verde: Modelo econômico que resulta em “melhoria do bem-estar da humanidade e igualdade social, ao mesmo tempo em que reduz significativamente riscos ambientais e escassez ecológica”. (PNUMA, 2010)

Brasília/DF, 1º de julho de 2016.

Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral
Voto não tem preço, tem consequências.
17º Aniversário da Lei 9840/99 (Lei da Compra de Votos)
6º Aniversário da LC135/10 (Lei da Ficha Limpa)
MCCE | 14 ANOS (2002-2016)


terça-feira, 5 de julho de 2016

MANIFESTO CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS


MANIFESTO CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS
LIBERTEM JÁ  LUIS E VALDIR

É com absoluta perplexidade e indignação que as entidades que fazem parte da Campanha Contra a Criminalização dos Movimentos Sociais recebem a notícia das prisões de Valdir Misnerovicsz e Luis Batista, lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.
Com efeito, enquadrados da Lei 12.850/2013, criada com o intuito de combater o crime organizado, notadamente o tráfico de drogas, constata-se que os inimigos da democracia, e da consequente liberdade de organização e de expressão dos setores pobres do Brasil, perceberam nessa legislação brecha interpretativa para criminalizar os movimentos sociais, que passam a ser enquadrados como “organizações criminosas”, como acontece neste momento como Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
Não é difícil perceber que se trata de um “balão de ensaio” com o objetivo, na verdade, de combater a livre organização dos movimentos sociais, aproveitando-se do aumento da capacidade de organização e mobilização dos setores arquireacionários no Brasil.
Trata-se, sem dúvida, de algo a ser combatido com toda veemência pela sociedade brasileira.
A Democracia somente pode ser construída com a livre possibilidade de organização e manifestação de todos os setores sociais. A tentativa de criminalização dos movimentos sociais é aposta no caos, na violência e na injustiça como padrão de intervenção do Estado.
É a volta ao pensamento da República Velha, onde a questão social era questão de polícia, visando agudizar os efeitos perversos do modelo econômico brasileiro, por sequer permitir, aos prejudicados pelos seus efeitos, o direito de se organizar e manifestar.
Assim, impõe-se a imediata libertação desses trabalhadores, cerceados nos seus direitos constitucionais básicos e o fim dos respectivos processos criminais.
Cada dia a mais dessas prisões significa a violação pelo Estado, dos Direitos Humanos das pessoas envolvidas, com a roupagem de “devido processo legal”.
São Paulo, 30 de junho de 2016

Assinam e apoiam as seguintes entidades
AMA-ABC - Associação dos Metalúrgicos Anistiados do ABC;
ASBRAD - Associação Brasileira de Defesa da Mulher da Infância
e da Juventude;
AMPARAR - Associação de Amigos, Familiares, Presos e Presas;
CJP - Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo,
CSDDH - Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese
de São Paulo;
Centro de Memória e Resistência do Povo de Mauá e Região;
CDHEP - Centro de Direitos e Educação Popular de Campo Limpo;
CSP - Conlutas;
Círculo Palmarino;
Comitê Contra o Genocídio da Juventude Preta, Pobre e Periférica;
Comitê Contra a Criminalização dos Movimentos Sociais;
CONEN - Coordenação Nacional de Entidades Negras;
Escola de Governo;
Fórum Permanente dos Ex-Presos, Perseguidos e Desaparecidos
Políticos do Estado de São Paulo;
FST - Fórum Sindical dos Trabalhadores do Estado de São Paulo;
FENADV - Federação Nacional dos Advogados;
FPL - Frente em Defesa do Povo da Palestina Livre;
FEPOSPETRO - Federação dos Trabalhadores em Postos
de Gasolina do Estado de São Paulo;
Fundação Herzog;
GTNM-SP - Grupo Tortura Nunca Mais do Estado de São Paulo;
Grupo de Ação Pastoral da Diversidade de São Paulo;
MMM - Movimento Mães de Maio;
Movimento de Moradia da Cidade de São Paulo;
Núcleo de Consciência Negra - USP;
Observatório das Violências Policiais - CEHAL - PUC/SP;
OLPN - Organização Para Libertação do Povo Negro;
Observatório do Terceiro Setor;
Pastoral Carcerária de São Paulo,
Polo Social Cívico Brasilândia,
Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo;
RUA - Juventude Anticapitalista;
Rádio Cantareira;
SINPEEM - Sindicato dos Professores Municipais de São Paulo;
Uneafro.

sábado, 2 de julho de 2016

BAZAR BENEFICENTE NO ARSENAL DA ESPERANÇA - DIA 9 DE JULHO


MCCE Estadual SP

Prezados a próxima reunião do MCCE Estadual SP acontecerá
dia 04/07/2016, das 14h00 às 16h30,
na sede do Movimento do  Ministério Público Democrático,
Rua Riachuelo, 217, 5º andar.

Notícias

·        Em junho, o Comitê MCCE/SP, de Guarulhos,  com o apoio da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Guarulhos/SP, lançou a Cartilha "De olho nas eleições: Regras Básicas para Eleições Limpas - 2016". O material aborda regras básicas eleitorais buscando orientar eleitores e candidatos de forma simples, didática e cidadã sobre assuntos relativos às eleições de 2016. Desde já  cumprimentamos Guarulhos por manter a tradição desta inciativa cidadã.

·        O MCCE Estadual SP  recebeu do Procurador Regional Eleitoral, Dr. Luiz Carlos dos Santos  Gonçalves o convite para participar do  evento abaixo descrito:

Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo, promoverá dia 19 de julho de 2016, às 10h, na sede da PRE/SP, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 2020 -   o  Evento "Encontro Propositivo pela Igualdade das Mulheres na Política".  Vejam informações sobre o mesmo na página:http://www.presp.mpf.mp.br/

·        Por ocasião da visita ao Dr. Luiz Carlos fomos presenteados com a publicação: “Pontos Controvertidos sobre a Lei da Ficha Limpa/ANPR”, Editora Del Rey,  com textos do Dr. Luiz Carlos e de outros  autores. A publicação pode ser baixada no site:www.anpr.org.br

Fonte: MCCE Estadual SP.





F


domingo, 5 de junho de 2016

Campanha da Fraternidade - Saneamento Básico

Existem diversos problemas -sérios que afetam diretamente o povo brasileiro, mas que, com frequência, a mídia e o governo dão pouca atenção e, até mesmo, "procuram esconder". Infelizmente, o saneamento no Brasil, está muito pior que que se poderia considerar razoável. 
Pensando nisso, a igreja promoveu neste ano, de 2016, a Campanha da Fraternidade com o tema "Casa Comum, Nossa Responsabilidade"  e  o lema "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca". Essa Campanha trata diretamente do saneamento básico, um serviço essencial, mas que, infelizmente, tem sido muito negligenciado no nosso pais. 
Na noite de 05 para dia 06 de abril de 2016, a rede Globo transmitiu no "Jornal da Globo" uma reportagem mostrando o descaso com que o saneamento básico tem sido tratado no Brasil.      
Com certeza, não é uma mera coincidência a poderosa Rede Globo dar algum destaque ao problema pouco tempo depois que a Campanha da Fraternidade ajudou a trazer o problema para discussão pública.

Filipe Thomaz
Membro da Pastoral Fé e Política 

terça-feira, 24 de maio de 2016

terça-feira, 17 de maio de 2016

Temor de Deus - dom do Espírito Santo

J. Thomaz Filho

O termo é temor de Deus.  
Mas que significa a mesma coisa que temor a Deus. 
No entanto, não se trata de temor como medo, porque Jesus nos deixou bem claro que Deus é Pai, é acolhimento, é perdão, é partilha. Mas é profundamente exigente: uma exigência que não nos massacra, não nos enfada, mas que quer que demos de nós o máximo que pudermos, não como competidores que se medem com rivais, mas como filhos e filhas amados quer olham para o Pai e dizem a si mesmos: preciso parecer-me com meu Pai, porque isso é que é sentido de vida. 
Trata-se de temor como reverência, como reconhecimento de nossa pequenez diante de Deus e diante do desafio que Ele mesmo, segundo Jesus, nos coloca: sermos parecidos com Ele. 
Olhe como Jesus traduz isso no pai-nosso: nos dispormos a fazer a vontade dele aqui na terra, no nosso tempo de caminhada, assim como essa vontade é feita no céu. 
Veja como Deus confia em nós, e como se põe ao nosso lado! 
Por isso não é medo, é confiança, estímulo, responsabilidade, compromisso. 
A doce gravidade de nos empenharmos em ser o que Deus espera de nós!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Organizações promovem quarta edição da “Praça da Cidadania” no próximo domingo 15/05/2016

Organizações promovem quarta edição da “Praça da Cidadania” no próximo domingo
Enviado por Nossa SP 

Iniciativa visa coletar assinaturas para projetos de lei de iniciativa popular e dialogar com a população sobre a importância dos temas propostos
No próximo domingo (15/5), organizações e movimentos sociais, entre os quais o Grupo de Trabalho (GT) Democracia Participativa da Rede Nossa São Paulo, promovem a quarta edição da “Praça da Cidadania”. O evento ocorrerá das 10h30 às 13h30, na Praça Oswaldo Cruz (esquina da Av. Paulista com Rua 13 de Maio, no Paraíso).
Iniciada no ano passado, a Praça da Cidadania é uma atividade coletiva que visa colher assinaturas de apoio para diversas propostas de lei de iniciativa popular, bem como dialogar com a população sobre essas iniciativas que envolvem vários temas.
O objetivo do evento é fortalecer a luta dos movimentos e organizações sociais que têm projetos de lei de iniciativa popular como estratégia de mobilização para causas sociais. A Praça da Cidadania visa também estimular que outros grupos e movimentos elaborem projetos de lei para fazer avançar suas pautas.
Este quarto encontro da Praça da Cidadania está sendo articulado por diversas organizações e movimento sociais que defendem quatro projetos de lei de iniciativa popular distintos:
Colabore com o fortalecimento e luta dos movimentos e organizações sociais!
Participe, assine e compartilhe!

domingo, 8 de maio de 2016

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos reflete sobre situações migratórias

Celebrações ocorrem de 8 a 15 de maio, nas comunidades cristãs do Brasil



O lema bíblico “Chamados e chamadas para proclamar os altos feitos do Senhor” (1Pe2.9) inspira a Semana de Oração pela Unidade Cristã 2016. Este ano, a atividade ocorre, no Brasil, de 8 a 15 de maio e sugere reflexão sobre a realidade migratória no mundo. 
A proposta foi elaborada pelo movimento ecumênico da Letônia e adaptado para o Brasil pelo Movimento Ecumênico de Curitiba (MOVEC). 
A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) é promovida mundialmente pelo Conselho Pontifício para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI). No Brasil, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) coordena as iniciativas para a celebração da Semana em diversos estados.
Na carta, por ocasião da SOUC 2016, as igrejas cristãs recordam que o ano de 2015 foi caracterizado pelas ondas migratórias. “Também no início deste ano, vimos, na Europa, migrantes e refugiados desesperados em busca de novas condições de vida. Seus países foram destruídos por guerras e catástrofes ambientais”.
Ao final, da mensagem, as lideranças expressam proximidade com os povos refugiados. “Somos chamados e chamadas a proclamar os altos feitos do Senhor! Que essa proclamação se traduza em posturas de diálogo, acolhida e respeito para com aquelas pessoas que vêm ao nosso país em busca de novas oportunidades de vida”. 
Confira a íntegra da carta:
SOUC 2016: Carta das Igrejas
Queridas irmãs e irmãos das comunidades cristãs brasileiras!
“Chamados e chamadas para proclamar os altos feitos do Senhor” (1Pe2.9). Este é o lema bíblico que inspira a Semana de Oração pela Unidade Cristã 2016.
A Semana de Oração foi preparada pelas Igrejas da Letônia. Participaram diretamente do processo de elaboração do material as Igrejas: Católica Apostólica Romana, Luterana, Ortodoxa e Batista. 
O povo letão, no final do século XIX e primeira metade do século XX, foi obrigado a migrar por ocasião da ocupação russa. Parte dessa migração ocorreu por causa da perseguição religiosa. A Letônia foi submissa aos czares, que tentaram impor a religião oficial como expressão de fé. As pessoas de outras expressões religiosas, entre elas Judaísmo, Cristianismo (catolicismo e protestantismo) e o Islã, foram perseguidas.
Essa realidade mudou com o passar do tempo. Hoje, a Letônia é bem diferente. É possível o convívio entre diferentes expressões de fé. A realização e preparação da Semana de Oração pela Unidade é o exemplo concreto disso. 
Nossos irmãos e nossas irmãs da Letônia escolheram o texto do apóstolo Pedro, que lembra que nós, pessoas batizadas, somos “chamados e chamadas a proclamar os altos feitos do Senhor”. Proclamar os altos feitos de Deus significa não esquecermos a perspectiva de que através do Batismo que somos declarados filhos e filhas de Deus. O Batismo jamais deve ser banalizado. Ele é um sacramento que nos apresenta o desafio permanente de praticarmos e proclamarmos o amor gratuito de Deus pela humanidade. Uma das formas de proclamar esse amor é assumindo posturas de diálogo e de acolhida, em especial, com as pessoas que são diferentes de nós: de outras igrejas, religiões e culturas.
O ano de 2015 foi caracterizado pelas ondas migratórias. Também no início deste ano, vimos, na Europa, migrantes e refugiados desesperados em busca de novas condições de vida. Seus países foram destruídos por guerras e catástrofes ambientais. Alguns países optaram por fechar suas fronteiras para evitar a entrada de migrantes. Outros estão pensando nessa possibilidade. 
No Brasil, a situação não é tão dramática como é na Europa. Mas também aqui aumentou o número de pessoas migrantes e refugiadas. Muitas delas buscam o nosso país na esperança de encontrar amparo e resgatar a dignidade de vida. Infelizmente, no ano de 2015, alguns migrantes foram agredidos e sofreram preconceito. Atitudes racistas e preconceituosas não são coerentes com os altos feitos de Deus. Também é oportuno lembrar que é expressivo o número de grupos étnicos que, em tempos idos, vieram ao Brasil por razões de fome e guerra, aqui encontrando acolhida e amparo.
O Batismo nos conclama ao respeito pelo migrante. Mais do que tolerantes, precisamos ser respeitosos. A tolerância deveria ser uma convicção passageira. Ela deveria conduzir ao reconhecimento do direito à dignidade que é inerente a cada ser humano. 
Somos chamados e chamadas a proclamar os altos feitos do Senhor! Que essa proclamação se traduza em posturas de diálogo, acolhida e respeito para com aquelas pessoas que vêm ao nosso país em busca de novas oportunidades de vida. 
Que nossas Igrejas sejam motivadas para esse testemunho permanente de acolhida!
Na unidade de Cristo,
Dom Leonardo Ulrich Steiner
Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Pastor Dr. Nestor Paulo Friedrich
Pastor Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil

Dom Francisco de Assis da Silva
Bispo Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Presbítero Wertson Brasil de Souza
Moderador da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil

Dom Paulo Titus
Arcebispo da Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia

Fonte: http://www.cnbb.org.br/

terça-feira, 3 de maio de 2016

Encontro com pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo

Promovido por Rede Nossa São Paulo, Programa Cidades Sustentáveis e Atletas pelo Brasil, evento terá como temas o desenvolvimento sustentável e a ampliação da prática de esportes.
Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo
Os principais pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo nas eleições deste ano estão sendo convidados para participarem de um evento promovido pela Rede Nossa São Paulo, pelo Programa Cidades Sustentáveis e pela ONG Atletas pelo Brasil.
Marcado para o dia 23 de maio, o encontro terá como temas o desenvolvimento sustentável e a ampliação da prática de esportes na cidade.
Durante o evento, os pré-candidatos conhecerão o novo Guia GPS – Gestão Pública Sustentável, que já está adaptado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) aprovados pela ONU, e o Programa Cidades do Esporte.
Após as duas apresentações, os postulantes ao cargo de prefeito da capital paulista serão convidados a assinar duas cartas compromissos: uma do Programa Cidades Sustentáveis e outra do Programa Cidades do Esporte. Eles também poderão comentar os temas do encontro.
Desenvolvido pelo Programa Cidades Sustentáveis, o novo Guia GPS – Gestão Pública Sustentável incorpora e municipaliza os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). 
Os ODS – aprovados pela ONU em setembro do ano passado – reúnem 17 macro objetivos e 169 metas com o propósito de acabar com a pobreza até 2030 e promover universalmente a prosperidade econômica, o desenvolvimento social e a proteção ambiental.
Serviço:
Encontro com pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo
Data: dia 23 e maio de 2016 (segunda-feira)
Horário: das 9h30 às 12h30
Local: CINESALA – Rua Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros
O evento é aberto à participação de cidadãos e cidadãs. Para participar do encontro inscreva-se aqui
Sobre o Programa Cidades Sustentáveis
O Programa Cidades Sustentáveis conta com a adesão de quase 300 prefeituras brasileiras, sendo 22 capitais estaduais e o Distrito Federal.
O conteúdo do Guia GPS, a Plataforma Digital de Indicadores e o Banco de Boas Práticas estão à disposição de todas as candidaturas às prefeituras municipais que quiserem incorporar o Programa Cidades Sustentáveis e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em suas futuras gestões. 
Sobre o Programa Cidades do Esporte
O Programa Cidades do Esporte acredita na importância da atuação dos governos municipais para o desenvolvimento e fortalecimento de políticas públicas de esporte, viabilizando a democratização do acesso ao esporte e contribuindo para a qualidade de vida da população. 
O programa, que atua nas 11 cidades-sede da Copa e Distrito Federal, comprometeu os candidatos a prefeito em 2012 com metas para o esporte. Desde então, vem monitorando anualmente, por meio da aplicação de uma matriz de indicadores, o avanço das políticas públicas destinadas a promover a atividade física e esportiva para a população.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Bragança Paulista sediará o Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 da CNBB

Reinaldo Oliveira



A Equipe de Coordenação do Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 da CNBB, em reunião ordinária realizada no dia 13 de abril, na sede em São Paulo, definiu o tema do Fórum que ocorrerá no próximo dia 21 de maio na cidade de Bragança Paulista: “Fórum das Pastorais Sociais - Sinais de Esperança”. A reunião teve início com momento de oração e espiritualidade com a reflexão do texto Pelas Estradas da Vida, a partir do Evangelho de Lucas 24,13-35, preparado pelo assessor do Fórum, padre Walter Merlugo Junior. 

Na pauta, entre outros itens, foram avaliados e definidos os detalhes da realização do Fórum que terá como assessores Claudio Nascimento, da Pastoral Fé e Política e Ari Alberti, da Pastoral do Migrante, atuando no período da manhã (resgate histórico da caminhada do Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1), e no período da tarde, haverá debate sobre o tema, coordenado pelo padre Flávio Lima, Valter Ceccheti e Reinaldo Oliveira, abordando a realização dos trabalho dos agentes das Pastorais Sociais nas Dioceses do Regional Sul 1.

Sobre o objetivo deste Fórum padre Walter disse: “diante do contexto atual é importante enfatizar e destacar as ações desenvolvidas pelos agentes das Pastorais Sociais em cada Diocese, além de elaborar uma agenda de trabalho em comum, assim como, promover interação e sinergia”. Imperativo se torna a participação de cada Diocese nesse Fórum, através de seus agentes de Pastorais Sociais, afim, de conhecer as diferentes realidades, assim como propostas as correspondentes e necessárias ações. 



O Fórum contará com a presença do Bispo Dom João Inácio Muller – presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz do Regional Sul 1. Ele será realizado no anfiteatro do Instituto Educacional Santa Terezinha, anexo a Paróquia Santa Terezinha, localizada na Rua Arthur Bernardes, 187 – Vila Municipal, Bragança Paulista /SP. A Equipe de Coordenação do Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1, convida, aguarda e agradece a presença dos agentes das Pastorais Sociais de todas as Dioceses que compõe o Regional Sul 1.

terça-feira, 19 de abril de 2016

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Encontros preparatórios para a VII Conferência Municipal da Cidade de São Paulo: Participe!

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), vai realizar neste sábado (16) mais 4 encontros regionais preparatórios para a VII Conferência Municipal da Cidade. As reuniões serão realizadas nos seguintes locais:

- Santo Amaro: Senac - Avenida Engenheiro Eusébio Stevaux, 823
- Capela do Socorro: CEU Vila Rubi - Rua Domingos Tarroso, 101
- Sapopemba: CEU Rosa da China - Rua Clara Petrela, 113
- Ipiranga: CEU Meninos - Rua Barbinos, 111, São João Clímaco

Os participantes das conferências regionais vão discutir a função social da cidade e da propriedade e os desafios dos Planos Regionais, além de indicarem dos delegados territoriais que vão representar a região na Conferência Municipal, que é um espaço para que a sociedade e o governo discutam formas de melhorar a vida das pessoas na cidade.



 


Acesse o Gestão Urbana, confira os eventos já realizados e também os que estão por vir!